domingo, 27 de maio de 2018

Polícia Militar apreende medicamentos contrabandeados em Panorama

Por DA REDAÇÃO

Produtos apreendidos (Foto: cedida/PM)Produtos apreendidos (Foto: cedida/PM)No sábado às 23h13, em Panorama, a Polícia apreendeu contrabandeados. Durante patrulhamento pela rua João vieira, foi abordado abordado um homem, sendo encontrado com ele três comprimidos de Pramil. Ele informou que havia comprado em um bar e com apoio de outras viaturas foi abordado o bar onde estava o proprietário que acabou confessando a prática da venda do medicamento Pramil. Foi encontrado ainda encontrado 397 comprimidos de Pramil, 243 maços de cigarros oriundos do Paraguai, 12 litros de bebida alcóolica e outros 5 vidros.
















O caso foi encaminhado à delegacia.

Com greve de caminhoneiros, granjas ficam sem alimentos e milhares de frangos morrem na BA; cidade já perdeu 50 mil aves


Retro-escavadeira e caçamba são usadas para retirar animais mortos, segundo informações divulgadas neste sábado, pela Associação Baiana de Avicultura.
Por G1 BA

Frangos mortos
Resultado de imagem para Fotos de Frangos mortos sem ração com a greve TV Fronteira

26/05/2018 14h36  Atualizado há 19 horas
Sem alimentos, milhares de frangos morrem em granjas na BA (Foto: Divulgação/ABA) Sem alimentos, milhares de frangos morrem em granjas na BA (Foto: Divulgação/ABA)
Sem alimentos, milhares de frangos morrem em granjas na BA (Foto: Divulgação/ABA)
Milhares de frangos morreram na Bahia nos últimos dias em decorrência da paralisação dos caminhoneiros, que chegou ao 6º dia neste sábado (26), e da consequente dificuldade de abastecimento das granjas de regiões produtoras, segundo informações divulgadas pela Associação Baiana de Avicultura (ABA).
O órgão informa que, por causa dos bloqueios dos caminhões em rodovias federais e estaduais de todo o país, as granjas ficam desabastecidas, sem milho, sorgo e sem insumos para alimentar as aves.
Mortes de frangos já foram registradas em granjas dos municípios de Conceição da Feira, Santo Antônio de Jesus, e Governador Mangabeira. Conforme a ABA, somente no município de Governador Mangabeira foram contabilizadas, neste sábado, cerca de 50 mil aves mortas.
Caçambas e até uma retro-escavadeira foram utilizadas para retirar os animais mortos dos locais. O órgão disse que não é possível, ainda, precisar quantas aves já morreram em todo o estado e nem o prejuízo.
Com paralisação de caminhoneiros, granjas ficam sem alimentos e milhares de frangos morrem na BA (Foto: Divulgação/ABA) Com paralisação de caminhoneiros, granjas ficam sem alimentos e milhares de frangos morrem na BA (Foto: Divulgação/ABA)
Com paralisação de caminhoneiros, granjas ficam sem alimentos e milhares de frangos morrem na BA (Foto: Divulgação/ABA)
"A situação nos planteis está calamitosa, muito preocupante, porque, com a greve, não chega ração. As aves morrem em questão de horas. E, se continuar desse jeito, vai virar caso de saúde pública, porque não vai local onde descartar tantas aves mortas", disse a diretora executiva da ABA, Patrícia Nascimento.
Em toda a Bahia, segundo a ABA, há 12 frigoríficos de frangos e 485 granjas. Eles abastecem o mercado baiano, o de estados vizinhos e até importam para outros países. Em muitos deles, segundo o órgão, o estoque de alimentos para as aves terminou na sexta-feira (26).
"Cada um tem uma situação diferente, de armazenamento de frango, de estoque de alimentos, de ração. Uns conseguem ter mais dias de ração e outros já estão há três ou quatro dias sem alimento já. É uma situação preocupante, porque não tem como resolver até que as estradas sejam liberadas", destacou Patrícia.

Oeste Paulista segue ritmo de greve geral dos caminhoneiros e entra no 7º dia



Entretanto, categoria deixou as rodovias e se recolheu em outras áreas, conforme informou a Polícia Militar Rodoviária.
Por G1 Presidente Prudente
Em Presidente Prudente, caminhoneiros estão pelas proximidades da Ceagesp (Foto: Stephanie Fonseca/G1)

27/05/2018 10h49  Atualizado há menos de 1 minuto
 Em Presidente Prudente, caminhoneiros estão pelas proximidades da Ceagesp (Foto: Stephanie Fonseca/G1) Em Presidente Prudente, caminhoneiros estão pelas proximidades da Ceagesp (Foto: Stephanie Fonseca/G1)
Em Presidente Prudente, caminhoneiros estão pelas proximidades da Ceagesp (Foto: Stephanie Fonseca/G1)
O Oeste Paulista continua mobilizado e participa, pelo sétimo dia consecutivo, da greve dos caminhoneiros, realizada em todo o país. Em Presidente Prudente, a categoria continua nas proximidades da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). No entanto, neste domingo (27) não há caminhões nos acostamentos e nem em área lindeira.

A Polícia Militar monitora a movimentação.
De acordo com informações da Polícia Militar Rodoviária, um acordo fez com que os caminhoneiros deixassem as rodovias. Em pontos onde não há postos de combustíveis e/ou pátios, os veículos foram recolhidos em propriedades particulares, como sítios e pastos.
Os reflexos da greve continuam na região. Entre elas está o fato de não haver transporte coletivo trafegando pelas vias de Presidente Prudente. O serviço foi suspenso para evitar a falta de combustível para o abastecimento dos veículos. Já nesta segunda-feira (28), as linhas de ônibus circularão com 50% da frota durante todo o dia.
Em Presidente Prudente, caminhoneiros estão pelas proximidades da Ceagesp (Foto: Stephanie Fonseca/G1) Em Presidente Prudente, caminhoneiros estão pelas proximidades da Ceagesp (Foto: Stephanie Fonseca/G1)
Em Presidente Prudente, caminhoneiros estão pelas proximidades da Ceagesp (Foto: Stephanie Fonseca/G1)
Pelo sétimo dia seguido, caminhoneiros fazem manifestações pelo país. Os atos deste domingo (27) dão continuidade à mobilização contra a disparada do preço do diesel, que faz parte da política de preços da Petrobras em vigor desde julho de 2017.
O gabinete do governo que monitora a crise já está em reunião, em Brasília, sem a presença do presidente Michel Temer. Está prevista uma segunda reunião, às 17h, também na capital federal.

Primeiro posto a receber combustível escoltado tem fila quilométrica de carros


Postos 'premiados' na Capital ganham apenas 5 mil litros de recarga 26 MAI 2018 Por Rafael Ribeiro, Eduardo Miranda e Yarima Mechi 19h:45. Filas e senhas esgotadas: campo-grandense vive um drama para abastecer o carro - Álvaro Rezende / Correio do Estado

 (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
Fila de mais de um quilômetro de extensão se formou no primeiro posto de combustível a receber, em Campo Grande, carregamento escoltado pelo Exército Brasileiro. Há aproximadamente 400 veículos em busca de pelo menos 20 litros de gasolina, a cota máxima estabelecida pelo Posto Kátia Locatelli, localizado no cruzamento da Avenida Mato Grosso do Sul com a Rua Ceará, no bairro Jardim dos Estados, região leste.

O primeiro veículo a ser atendido foi uma motocicleta, que tinha a senha número um das 250 distribuídas. O motociclista só utilizou cinco litros de sua cota, e deixou mais 15 de sobra para os demais, do fim da fila.
A prioridade no abastecimento, frisou a proprietária do posto (que leva seu nome) são para carros oficiais, sobretudo os da força de segurança.

O carregamento escoltado pelos militares tinha, ao todo, 5 mil litros de gasolina. Segundo informações de donos de postos de combustíveis ouvidos pelo Portal Correio do Estado, essa é a cota máxima que está sendo liberado pela Petrobras. "Estamos tentando obter mais, mas está difícil a negociação", disse.

A cota de 20 litros por pessoa está sendo usada em praticamente todos os postos que ainda contam com estoque de gasolina, etano e diesel pela cidade. Segundo o empresário, é a única forma de garantir abastecimento justo a maioria dos clientes. "E também evitara que encham galões e afins. É para quem precisa durante essa crise", disse.

Prefeitura de Presidente Epitácio explica cobrança de contribuição de incêndio inserida no IPTU



Sobre a cobrança da taxa de combate a incêndio (CI) inserida no carnê de IPTU do município, a prefeitura de Presidente Epitácio informa que tornou facultativo ao contribuinte o pagamento da referida taxa.
Não obstante seja facultativo o pagamento, a administração municipal apela à população para que não deixe de pagar a taxa de combate a incêndio, haja vista que ela é totalmente destinada ao custeio dos serviços do Corpo de Bombeiros no município e, em última instância, ajuda a garantir a qualidade dos serviços da corporação à população epitaciana, já que possibilita a manutenção mais rápida dos equipamentos, bem como a incorporação de melhorias nas condições de serviço e atendimento, sem depender da burocracia e demora que geralmente ocorre nas demandas aos órgãos do Estado.

VERBA EXCLUSIVA PARA O CORPO DE BOMBEIRO
A administração municipal esclarece que após a criação do Fundo Especial do Bombeiro (FEBOM), a totalidade dos valores recolhidos a esse título – taxa de combate a incêndio – vai para uma conta especial e os recursos são utilizados exclusivamente para o pagamento dos serviços de manutenção dos Bombeiros, haja vista que o Estado custeia apenas os salários e alguns equipamentos de salvamento, cabendo ao poder público municipal pagar os custos com alimentação, material utilizado nas viaturas, desenvolvimento do Programa Bombeiro Educador, água, luz, telefone, combustível e conserto de viaturas e barco.
A prefeita Cássia informa ainda que o munícipe que optar por não contribuir com a taxa de incêndio, pode procurar o Setor de Lançadoria da prefeitura para que seja realizada a atualização do carnê, sem qualquer custo ou prejuízo ao contribuinte.

NOVO PRAZO PARA PAGAMENTO
Em decorrência das modificações acima mencionadas, conforme decreto Nº 3.497/2018, de 08 de maio de 2018, o munícipe que optar pela exclusão da cobrança deverá solicitar a expedição de nova guia, sendo que a data de vencimento do IPTU e das taxas foi prorrogada para 30 de maio de 2018, tanto para pagamento a vista com desconto, quanto da primeira parcela.

BRT e barcas param totalmente no Rio por falta de combustível

Por Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil*

“Sem ter como abastecer seus articulados, pela falta de combustível nos postos e garagens, o BRT Rio, apesar de todos os esforços, não conseguirá manter o sistema operando na manhã deste sábado. Todos os serviços, nos três corredores expressos - Transoeste, Transcarioca e Transolímpica –, serão suspensos por tempo indeterminado. Neste momento, os estoques de diesel das empresas consorciadas estão zerados. Os articulados voltarão a circular tão logo se restabeleça a distribuição de combustível no estado e o Consórcio consiga abastecer o número de veículos necessário para normalizar a operação”, informou o consórcio.
As 125 estações foram fechadas e os 440 ônibus articulados ficaram parados. São 125 quilômetros de corredores exclusivos, responsáveis por fazer a ligação entre as linhas de ônibus locais e também com o metrô. O BRT Transcarioca liga o Aeroporto Internacional Tom Jobim à Barra da Tijuca e também ao campus da Universidade Federal do Rio. O Transoeste liga Santa Cruz e Campo Grande com a Barra e o metrô. E a Transolímpica liga Deodoro ao Recreio dos Bandeirantes.
Barcas e trens
Também por falta de combustível, o transporte de barcas entre o Rio e Niterói foi totalmente suspenso neste sábado. A linha Paquetá está operando com menos viagens. As barcas transportam diariamente, em média, 73 mil passageiros, em seis linhas e 19 embarcações.
Nos trens, duas extensões que funcionam com locomotivas a diesel também estão sem operação neste final de semana, Vila Inhomirim e Guapimirim.

Brasil precisa implementar reformas para garantir crescimento, diz FMI

Por Paola De Orte – Correspondente da Agência Brasil

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou hoje (25) documento em que destaca que, apesar da recuperação econômica atual no Brasil, o país precisa implementar reformas adicionais, em especial da Previdência, para garantir um crescimento econômico forte: "sem reformas adicionais, as perspectivas de crescimento no médio prazo são pouco inspiradoras”.
Elaborado pelo corpo técnico da instituição, o documento é resultado da visita anual que o fundo costuma fazer ao país de acordo com as regras da instituição. As conclusões do relatório afirmam ainda que, no atual contexto de condições financeiras globais mais restritas, “colocar o Brasil em uma trajetória de crescimento forte, equilibrado e sustentável exige determinação na consolidação fiscal, reformas estruturais ambiciosas e o fortalecimento da arquitetura do setor financeiro”.

Reforma da Previdência

O documento destaca o papel positivo de medidas recentes adotados pelo governo, como a lei do teto dos gastos e a reformas trabalhista. “Todavia, ainda é preciso fazer muito mais”, diz o texto, destacando a importância de uma reforma da Previdência para evitar riscos e “assegurar a sustentabilidade das finanças públicas e um sistema justo”.
"Os gastos com a Previdência social são muito altos, crescentes e insustentáveis — claramente, o Brasil é um ponto fora da curva entre a maioria das economias emergentes, inclusive na América Latina”. A instituição também faz recomendações sobre pontos da reforma da Previdêcia, que deveria incluir “o aumento da idade de aposentadoria, a desvinculação do piso da aposentadoria do salário mínimo e a moderação da generosidade indevida nas aposentadorias de alguns segmentos da população, sobretudo dos funcionários públicos”.
Além dessas reformas já implementadas, a missão do FMI também destacou outros projetos do governo que considera "louváveis”, como os planos de reduzir os custos bancários ao instituir uma nova lei de falências e implementar um registro eletrônico de garantias e o cadastro positivo.
O documento ainda destaca que o setor financeiro tem se mostrado resiliente, apesar de a recuperação do crédito bancário ainda estar lenta, e que as reservas externas são substanciais – mais de US$ 370 bilhões, valor considerado grande pelo fundo. Essas reservas, ao lado do fato de a dívida pública ser denominada em reais, as necessidades de rolagem externa serem baixas, a queda no déficit em conta corrente e o câmbio flexível “reforçam a resiliência do Brasil a choques externos”.
Ainda assim, o FMI lembra que a desvalorização acelerada de moedas em mercados emergentes é um lembrete de que as condições externas podem mudar rapidamente e agravar o efeito da incerteza política interna.

Recomendações

O FMI recomenda que a política monetária continue acomodatícia para facilitar uma recuperação duradoura, já que a inflação está abaixo da meta, e que seja reforçada a independência do Banco Central para fortalecer ainda mais o regime de metas de inflação. Por outro lado, a consolidação fiscal deveria ser acelerada, e a taxa de câmbio deveria continuar flexível para manter sua capacidade de absorver choques externos.
O documento destaca a necessidade de reformar o regime de emprego e remuneração do setor público “para tornar os gastos com pessoal sustentáveis, reduzir as distorções no mercado de trabalho e a desigualdade de renda”, além de preservar e, se possível, “aumentar os gastos com programas sociais eficazes, como o Bolsa Família e o investimento público”.
O fundo também recomenda que medidas tributárias mais eficientes sejam implementas, como acelerar a simplificação do sistema, incluindo a revisão do PIS/Cofins, além da harmonização dos regimes tributários federal e estaduais.
Outro destaque entre as recomendações é promover maior abertura comercial, já que, segundo o corpo técnico do fundo, “o Brasil continua a ser uma economia fechada, em relação aos demais países do G-20”. O fundo afirma, no entanto, que recentes avanços na facilitação do comércio e o progresso na conclusão de novos acordos comerciais “são bem vindos”.
O FMI também recomenda o avanço na implementação do Programa de Parcerias de Investimentos, para aumentar a infraestrutura competitividade do país, que, segundo o documento, ainda são inferiores às dos seus concorrentes comerciais.
Por fim, o texto alerta para a importância da “implementação eficaz de medidas para combater a lavagem de dinheiro e a corrupção”, apesar de que “o governo continua a obter bons resultados nos seus esforços para processar casos importantes de lavagem de dinheiro e corrupção, com o respaldo de um judiciário forte e independente”.

Greve de caminhoneiros já afeta supermercados de Osvaldo Cruz

Desabastecimento deve atingir hortifrutis e carnes a partir deste final de semana

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)















greve dos caminhoneiros, que chegou ao seu quinto dia nesta sexta-feira, já gera desabastecimento não só em postos de combustível, mas nas prateleiras de alguns supermercados da cidade.
Empresários dos principais supermercados de Osvaldo Cruz informam que os produtoshortifrutigranjeiros já começam a faltar. No Supermercado Casa Aliança era possível ver um cartaz onde já havia alerta sobre produtos já em falta.
Os supermercados costumam comprarprodutos de hortifrutis e já enfrentam alguns problemas. "Acredito que, a partir dessa sexta-feira, comece a faltar em mais supermercados. O nosso estoque de cereais e mercearias poderão ter baixas significativas a partir da segunda-feira que vem, caso a situação não mude", alertou o proprietário do Supermercado Bandeiras e presidente da Associação Comercial, Edivaldo Marconato.
Na região, o protesto já afeta o abastecimento  do Ceasa de Presidente Prudente – de onde são distribuídos frutas, legumes e verduras para toda região , no atacado e varejo.
BOM DIA 

sábado, 26 de maio de 2018

PREVISÃO DO TEMPO - PEDIRAM AGORA MESMO


Imagem relacionada
Imagem mais provável nos finais dos próximos dias


O tempo vai continuar limpo até o final do mês de maio. A partir do dia primeiro de junho vai mudar por vários dias com chuvas relativamente amenas. A temperatura deverá continuar como tem estado nesses últimos dias, isto é, nem quente e nem frio demais. Vamos aguardar! 
O mais difícil foi "engolir" a derrota do Palmeiras no Alians Parque. Acho que vou cobrar pênalts!!!

Em áudio vazado, ministros do STF criticam greve de caminhoneiros


Postado por Leni Barbosa
Gilmar Mendes e Celso de Mello criticam greve
Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e Celso de Mello fizeram críticas à paralisação nacional dos caminhoneiros durante a a sessão na tarde desta quinta-feira (24). Eles não perceberam que o microfone estava ligado enquanto conversavam. O vazamento do diálogo ocorreu durante uma votação na qual a Corte decidiu sobre a recondução da ministra Rosa Weber para o cargo de ministra efetiva do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Enquanto os demais ministros votaram sobre a questão, Mendes iniciou a conversa com Celso, mas não percebeu que o microfone estava ligado.
"Que crise, hein! Guiomar [mulher de Gilmar] está na rua agora, está impossível", disse. Em seguida. Celso respondeu:" Um absurdo, faz-nos reféns. Tudo bem que eles até possam ter razão aqui, mas isto é um absurdo. Minha filha está vindo de São Paulo...". A partir desse trecho, a conversa continuou, mas o áudio foi cortado na transmissão ao vivo.
Ouça o áudio:
Os caminhoneiros protestam há quatro dias contra os seguidos aumentos do preço do diesel. O movimento tem feito bloqueios em estradas, o que já impacta no abastecimento de combustível e alimentos em algumas regiões do país. As principais reivindicações da categoria são: redução de impostos sobre o preço do óleo diesel, como PIS/Cofins e ICMS, e o fim da cobrança de pedágios dos caminhões que trafegam vazios nas rodovias federais concedidas à iniciativa privada.

Caminhoneiros fazem carreata nas ruas de Dracena nesta manhã

O objetivo é chamar a atenção para o movimento contra os preços abusivos dos combustíveis e pedágios
Carreata na manhã de hoje, no centro de Dracena (Foto: Lucas Mello/JR)Carreata na manhã de hoje, no centro de Dracena (Foto: Lucas Mello/JR)












Grupo de caminheiros promoveu na manhã deste sábado, carreata pelas avenidas principais de Dracena. Eles saíram de onde estão concentrados – entrada da cidade – no trevo da Jojo, em frente ao Posto Nacional, na SP- 294 rodovia Cmdt. João Ribeiro de Barros.
Na área central da cidade, o movimento chamou a atenção da população. Muitos pararam para conferir a carreata.
Eles se manifestam contra as medidas do Governo Federal e Estadual em relação aos preços dos combustíveis, principalmente o diesel, e a cobrança de pedágios até por caminhões que circulam com o eixo vazio.
A paralisação dos caminhoneiros foi iniciada na segunda-feira que passou em todo território nacional. Após a carreata, eles voltaram para o local na rodovia onde estão concentrados.

Greve dos caminhoneiros paralisa produção de açúcar e etanol em usinas na região de Presidente Prudente

Empresa informou ao G1 que está monitorando os desdobramentos da paralisação para garantir a segurança de seus empregados e a retomada das atividades o mais breve possível.


O Grupo Odebrecht informou ao G1 neste sábado (26) que paralisou as atividades de suas unidades agroindustriais localizadas em Mirante do Paranapanema e Teodoro Sampaio em decorrência da greve dos caminhoneiros que atinge todo o Brasil.
As usinas Conquista do Pontal, em Mirante do Paranapanema, e Alcídia, em Teodoro Sampaio, atuam na produção de açúcar e etanol.
Segundo a nota de esclarecimento encaminhada pelo Grupo Odebrecht ao G1, o funcionamento foi paralisado nesta sexta-feira (25).
"A empresa está monitorando os desdobramentos da paralisação para garantir a segurança de seus empregados e a retomada das atividades o mais breve possível", salientou ao G1.
Iniciada na segunda-feira (21), a greve dos caminhoneiros chegou ao seu sexto dia neste sábado (26) e a categoria reivindica ao governo federal medidas contra os aumentos seguidos nos preços do óleo diesel.
Os reflexos da paralisação afetam diretamente a população do Oeste Paulista. Postos de combustíveis não têm mais produtos para o abastecimento de veículos. Faltam alimentos nos supermercados, que decidiram limitar as quantidades de produtos comprados pelos consumidores. Escolas e universidades suspenderam as aulas. Empresas de ônibus reduziram as frotas de veículos em circulação no transporte coletivo de passageiros. Estabelecimentos comerciais decidiram fechar as portas mais cedo.
Em Presidente Prudente, os ônibus do transporte coletivo urbano só vão circular neste sábado (26) até as 14h. Depois disso, o serviço só voltará a funcionar na segunda-feira (28).
Segundo um balanço divulgado pela Polícia Militar Rodoviária, as manifestações da greve dos caminhoneiros neste sábado (26) mobilizam 800 veículos, entre caminhões, carros, motocicletas e ônibus, em 16 trechos de rodovias estaduais na região de Presidente Prudente.
Os atos ocorrem nas cidades de Adamantina, Alfredo Marcondes, Dracena, Iepê, Indiana, Inúbia Paulista, João Ramalho, Osvaldo Cruz, Ouro Verde, Pirapozinho, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rancharia, Taciba, Teodoro Sampaio e Tupi Paulista.
Em Presidente Prudente, os manifestantes realizaram uma carreata na manhã deste sábado (26) em que percorreram as principais avenidas da cidade. Para chamar a atenção da população, eles fizeram um "buzinaço" por onde passaram durante o ato, que também contou com a participação de carros de passeio, vans e motocicletas.

Polícia Rodoviária contabiliza mais de 700 veículos em protestos de caminhoneiros na região de Presidente Prudente

No total, são 14 trechos de rodovias estaduais afetados por manifestações na manhã deste sábado (26) no Oeste Paulista em decorrência da greve que entrou no seu sexto dia.
Caminhoneiros fizeram carreata neste sábado (26) em Presidente Prudente (Foto: Murilo Zara/TV Fronteira)
As manifestações da greve dos caminhoneiros na manhã deste sábado (26) mobilizam 800 veículos, entre caminhões, carros, motocicletas e ônibus, em 16 trechos de rodovias estaduais na região de Presidente Prudente, segundo balanço divulgado pela Polícia Militar Rodoviária.
Em Presidente Prudente, os manifestantes realizaram uma carreata na manhã deste sábado (26) em que percorreram as principais avenidas da cidade. Para chamar a atenção da população, eles fizeram um "buzinaço" por onde passaram durante o ato, que também contou com a participação de carros de passeio, vans e motocicletas.
Iniciada na segunda-feira (21), a paralisação chega ao seu sexto dia e a categoria reivindica ao governo federal medidas contra os aumentos seguidos nos preços do óleo diesel.
Os reflexos da paralisação afetam diretamente a população do Oeste Paulista. Postos de combustíveis não têm mais produtos para o abastecimento de veículos. Faltam alimentos nos supermercados, que decidiram limitar as quantidades de produtos comprados pelos consumidores. Escolas e universidades suspenderam as aulas. Empresas de ônibus reduziram as frotas de veículos em circulação no transporte coletivo de passageiros. Estabelecimentos comerciais decidiram fechar as portas mais cedo.
Em Presidente Prudente, os ônibus do transporte coletivo urbano só vão circular neste sábado (26) até as 14h. Depois disso, o serviço só voltará a funcionar na segunda-feira (28).

Governo do Estado determina multas para quem estacionar em filas duplas, bloqueios e impedir a livre circulação

Por ASSESSORIA DE IMPRENSA. Governo do Estado

O governador do Estado de São Paulo, Márcio França, determinou ao secretário de Segurança, Mágino Alves, que acione imediatamente a Polícia Rodoviária para aplicar multas em todos os veículos que estacionem em fila dupla nas estradas paulistas ou que promovam bloqueios, impedindo a livre circulação.
Márcio França entende que a greve, que afeta todo o País, poderia ter sido evitada: “A greve foi causada por um aumento abrupto no preço do diesel, sem considerar as consequências sociais. Os caminhoneiros foram os primeiros duramente atingidos e entendo perfeitamente os motivos da manifestação. Mas já foi iniciado um processo de negociação para resolver o problema e não é correto penalizar toda a população”, ressaltou o governador.
O governador recebeu telefonema do presidente da República, Michel Temer, informando-o sobre as negociações. “Também enviamos nosso secretário da Fazenda para Brasília para discutir medidas de compensação para reduzir os custos dos caminhoneiros. Ou seja, estamos fazendo de tudo para resolver a situação”.
O governador informou que a Polícia Militar de São Paulo tem atuado para desobstruir as vias e estradas em todo o Estado. Sempre que acionada, a Polícia tem feito a escolta dos caminhões que transportam combustíveis para aeroportos, empresas de transporte público, hospitais e serviços essenciais. “Estou em contato permanente com os secretários das pastas de saúde, educação, segurança, para garantir a continuidade do atendimento à população”.
Multas – Para quem organiza bloqueios a legislação prevê multas de até R$ 17.608,20. Para os que interrompem a circulação nas vias a multa é de R$ 5.869,40. Em todos os casos as multas são gravíssimas e implicam remoção do veículo e processo de suspensão da habilitação por 12 meses.

Falta de combustíveis nos postos de Dracena faz diminuir número de frentistas trabalhando

Por Carlos Volpi Da Redação

Mercado de combustíveis (Foto: Divulgação)Mercado de combustíveis (Foto: Divulgação)








O desabastecimento nas bombas dos postos de combustíveis em Dracena, devido à greve dos caminhoneiros que teve início no começo desta semana, acabou refletindo no número de frentistas para atender a clientela.
A reportagem do Jornal Regional ouviu oito postos de combustíveis na cidade, sendo que quatro deles estão com os estoques zerados de combustíveis.
O restante ainda teria combustíveis para ontem ou até esse final de semana. Segundo os donos e funcionários dos estabelecimentos comerciais, não há previsões de quando os caminhões-tanque virão carregados com os combustíveis para suprir os desabastecimentos devido aos bloqueios nas estradas.
Devido a isso, o número de frentistas nas bombas foi reduzido, porém os serviços de lavagem, troca de óleo e conveniência ainda estão sendo realizados.
Os postos de combustíveis ouvidos pela reportagem não precisaram fechar devido à falta dos produtos nas bombas.

Governo ignorou pedidos do movimento dos caminhoneiros


Posted on 8 Toninho Moré

Uma sequência de reclamações ignoradas pelo governo e um acordo costurado de última hora em meio a trapalhadas políticas pararam o Brasil. Desde outubro de 2017 os caminhoneiros têm se queixado ao Planalto, mas, sem dinheiro e com outras preocupações, o governo deixou o tema de lado até que a paralisação começou. Quando a negociação foi iniciada, nesta semana, o governo ofereceu parte dos pedidos, mas o movimento já era maior que os líderes, e o acordo foi ignorado pelas estradas
Estadão Conteúdo

PMA de Bataguassu apreende 2 km de redes de pesca e liberta 30 kg de peixes dos petrechos ilegais

Postado por Leni Barbosa
 
Foto: Divulgação/PMA
Em fiscalização ambiental na madrugada e manhã desta quarta-feira (23) no lago da usina Sérgio Motta, no rio Paraná, no município, Policiais Militares Ambientais de Bataguassu apreenderam 30 redes de pesca de malha 90 milímetros (petrecho proibido) armadas no rio, medindo 2.000 metros. Durante a retirada dos petrechos ilegais foram soltos 30 kg de pescado que estavam vivos e presos às redes. Os infratores proprietários dos petrechos proibidos não foram identificados.
O uso de petrechos proibidos do tipo redes de pesca é muito comum na região, pois, nos lagos das Usinas Hidrelétricas do rio Paraná, este petrecho é permitido para o pescador profissional, desde que identificado e com malha de tamanho a partir de 140 milímetros. Ocorre que muitos pescadores profissionais armam redes com malha menor à permitida e não identificam.
A legislação só permite também no máximo 100 metros de redes armadas, localizadas pelo menos, a 150 metros de distância uma da outra, porém, muitas vezes, os pescadores profissionais emendam várias redes excedendo a metragem permitida. Este tipo de uso é crime.
Pescadores amadores que não podem por lei utilizarem esses petrechos também acabam os utilizando, o que caracteriza crime ambiental.

Produção e escoamento do leite da Associação dos Produtores Rurais de Dracena começam a ser afetados

Segundo a presidente da APRD, Gislaine Oliveira dos Santos Gomes, os 40 produtores de Dracena e região estão com o estoque de leite armazenado

Escoamento da produção de leite na cidade está comprometida (Foto: Divulgação)Escoamento da produção de leite na cidade está comprometida (Foto: Divulgação)










Associação dos Produtores Rurais de Dracena (APRD) que atualmente conta com 40 produtores de leite de Dracena e cidades da região, cuja presidente é Gislaine Oliveira dos Santos Gomes informou que a greve dos caminhoneiros desencadeada na segunda-feira que passou começa a causar os primeiros impactos na coleta e distribuição do produto.
Segundo ela, os produtores de leite estão com a produção armazenada nos tanques das propriedades, sendo que eles não conseguem escoar devido à falta de combustíveis nos postos para os veículos transportarem até a Associação e também, o bloqueio da passagem dos caminhões nos trechos onde ocorrem os manifestos.
Ela disse que ontem de manhã, a produção dos sacos de leite pasteurizado integral de 1 litro que havia sido armazenado no laticínio, o caminhão refrigerado conseguiu distribuir para as escolas municipais e estaduais de Dracena, Tupi Paulista, Monte Castelo, Santa Mercedes, Nova Guataporanga, Paulicéia, São João do Pau D´Alho, Pacaembu, Irapuru e Flora Rica, além dos presídios de Mirandópolis, Pacaembu, Irapuru e Junqueirópolis, exceto para Presidente Venceslau.
Gislaine ressaltou que se a greve dos caminhoneiros permanecer por mais dias, não será possível realizar a coleta nas propriedades e a distribuição nas unidades escolares e presídios.
Disse que o caminhão de coleta da APRD, com capacidade para 6 mil litros de leite, não consegue obter a produção nas propriedades rurais. O motivo é devido ao bloqueio dos caminhões de cargas nos trechos das estradas onde ocorreram paralisações e a falta de combustíveis nos postos da cidade.
Ela ressaltou que está orientando os produtores de leite a armazenar o produto na capacidade máxima dos tanques das propriedades. “Hoje e amanhã não sabemos se vai ter leite para a produção no laticínio, estamos pensando em coletar o produto nas propriedades à noite”, disse Gislaine em relação aos bloqueios que os caminhoneiros estão realizando durante o dia.
Gislaine informou que não estimou ainda em valores o prejuízo, mas disse que a perda diária na produção do leite no laticínio pode chegar a 4,5 mil litros.